Buscar

CERRP reinicia treinamentos com direção defensiva

A CERRP (Cooperativa de Eletrificação e Desenvolvimento da Região de São José do Rio Preto) reiniciou neste mês com os treinamentos internos, que estavam suspensos devido a pandemia do coronavirus. O primeiro treinamento, direcionado a todos os colaboradores da Cooperativa, é o de Direção Defensiva.

Direção Defensiva é um conjunto de atitudes que todo motorista deve adotar para evitar acidentes. Além de uma importante prática que ajuda a preservar vidas no trânsito, dirigir defensivamente acaba sendo uma ótima estratégia de negócio. Isso, porque a direção defensiva ajuda a colaborar com a comunidade onde está inserida, a proporcionar mais segurança para todos e até a reduzir custos.


Direção defensiva é dirigir de uma forma que evite acidentes, mesmo diante dos erros de outros e condições adversas. Em outras palavras, a direção defensiva é a capacidade de prever ocorrências no trânsito e agir em tempo de evitar o acidente em iminência. Para tanto, é preciso contar com cinco conceitos básicos: conhecimento, atenção, previsão, decisão e habilidade.





Dispostos em diversos manuais de Direção Defensiva elaborados por órgãos de trânsito de vários Estados, cada conceito pode ser compreendido da seguinte forma:


Conhecimento


O condutor precisa conhecer o máximo de tudo que envolve direção e trânsito. Ou seja, conhecer as leis, condições de via onde se desloca e todos os componentes do carro.


Atenção


O condutor precisa estar atento a tudo que o cerca: seu carro, a via e outros motoristas. Por isso, algumas condutas são proibidas, como dirigir falando ao celular ou com fone de ouvido.


Existem ainda hábitos que, apesar de nãos erem proibidos explicitamente, não são recomendáveis. É o caso de fumar ou comer na direção. Apesar de não serem condutas especificamente vetadas no Código de Trânisto Brasileiro (CTB), não são recomendáveis por conta de outros artigos do Código. A lei só permite, por exemplo, ficar apenas com uma das mãos ao volante para fazer sinais com o braço, trocar de marcha ou acionar algum acessório do veículo.


Previsão


Prevenção é o melhor remédio. O conceito refere-se à capacidade de pensar em situações que podem acontecer e, consequentemente, agir com cautela diante dessas eventualidades. Por exemplo: quando o motorista se aproxima de um cruzamento com pouca visibilidade, prevê a possibilidade de outro carro em alta velocidade cruzar a via. Sendo assim, desacelera para observar se vem alguém.


Outra forma de exercitar a previsão é durante engarrafamentos, parando a uma distância segura do veículo da frente.


Ficar atento ao surgimento de pedestres em vias movimentadas ou verificar as condições dos pneus antes de sair em tempo chuvoso são outros exemplos de previsão na direção defensiva.


Decisão


A direção defensiva também é decidir, de forma correta e na hora certa, que atitude tomar no trânsito. Por exemplo: quando o motorista está atrás de um caminhão e precisa ultrapassar, não basta que o trecho tenha faixa seccionada permitindo a manobra. É preciso que exista visibilidade e espaço suficiente para a ultrapassagem. Por isso, no trânsito, qualquer decisão deve levar em conta vários fatores.


Habilidade


Por fim, a habilidade é a capacidade do motorista de utilizar o veículo e realizar qualquer manobra que seja necessária – em especial diante de situações adversas. Por exemplo: mudar a marcha, fazer curvas acentuadas ou frear repentinamente.


Situações adversas


Ainda dentro do conceito de direção defensiva estão as situações adversas que aumentam riscos de acidente. Entre as situações adversas estão a pouca ou excessiva luminosidade, o tempo com chuva ou neblina, a via esburacada, o trecho muito movimentado e o próprio motorista quando enfrenta algum problema de mal estar ou sonolência.